Beleza e Saúde

Ciclistas chamam a atenção para a insegurança no trânsito doando sangue no Dia Internacional da Bicicleta

A campanha #sanguedeciclista une as duas causas na próxima sexta (03) com uma doação coletiva no banco de sangue do hospital AC Camargo

O crescente número de acidentes de trânsito envolvendo bicicletas vem sendo tratado com preocupação pelos coletivos de ciclistas e cicloativistas. Para chamar a atenção da sociedade em geral, eles programaram o que pode ser chamado de ‘protesto do bem’, uma mobilização para doação de sangue na próxima sexta, dia 03 de junho, Dia Internacional do Ciclista.

“Se querem nosso sangue, vamos entregar no lugar certo”, convida Renata Falzoni, uma das mais conhecidas cicloativistas do país. A provocação é baseada em números reais. Apenas nos três primeiros meses de 2022 foram 108 acidentes com morte envolvendo bicicletas no Estado de São Paulo, além de outros mais de dois mil acidentes não fatais com ciclistas. Os números são oficiais e podem ser maiores, uma vez que dependem do registro correto de boletins de ocorrência.

 “Queremos mais segurança no trânsito e menos sangue no asfalto”.  Os principais coletivos de ciclistas da cidade estão convocando seus participantes para esta doação coletiva. A concentração será na sexta, dia 03 de junho, a partir das 8h no Banco de Sangue do Hospital AC Camargo, que tem um dos diversos bancos de sangue na cidade, com estoques reduzidos.

Para os ciclistas participantes, o hospital irá reservar um espaço em que poderão deixar suas bicicletas, enquanto fazem a doação. Será um ato simbólico e, claro, silencioso, uma vez que será em ambiente hospitalar. Os grupos de ciclistas estão divulgando a ação com todas as orientações sobre quem pode e quem não pode doar, e os cuidados necessários para o dia.

Serviço

#SanguedeCiclista

Doação de Sangue no hospital AC Camargo

Sexta, 03 de junho, a partir das 8h

Rua Castro Alves, 131, Aclimação.

Autorizado o estacionamento de bicicletas

Orientações para Doação:

Pesar acima de 50 quilos;

Ter entre 18 e 60 anos (candidatos com idade entre 16 e 18 anos podem doar mediante autorização dos pais ou responsáveis e candidatos com idade entre 60 e 69 anos podem doar se tiverem realizado ao menos uma doação anteriormente);

Estar em boas condições de saúde, em repouso mínimo de seis horas e ter feito uma refeição nas últimas três horas sem alimentos gordurosos;

Não ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas;

Não possuir nenhuma doença crônica do tipo cardíaca, vascular, renal ou reumática;

Não ter tido câncer;

Não ter tido gripe ou febre nos últimos 15 dias;

Não estar grávida, ter tido aborto ou parto há menos de três meses ou estar amamentando;

Não ter feito nenhum procedimento endoscópico nos últimos seis meses;

Não ter feito tatuagem ou piercing há menos de 12 meses;

Não ter fator de risco, antecedentes ou infecções atuais por agentes transmitidos pelo sangue;

Não ter viajado para regiões endêmicas para malária, zika, chikungunya, dengue e febre amarela e não ter residido por mais de três anos na Europa, devido ao risco de Creutzfeldt-Jakob (doença da vaca louca);

Não ter recebido transfusão há menos de um ano.

Observações:

O uso de medicamentos, vacinas, acupuntura e piercing são avaliados individualmente.

Quem teve COVID pode doar depois de 10 dias após o diagnóstico de cura;

Se a pessoa teve contato com alguém com COVID ou suspeita só poderá doar depois de 07 dias.

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.