1951 Nasce em 31 de março no bairro Carlos Prates, em Belo Horizonte, o segundo filho do seu Miguel com dona Geralda.     1956 Após dois anos num colégio particular, Fernando é transferido pela mãe para a escola pública, onde estuda até entrar para a clandestinidade e ser preso pela ditadura.     1966 Muda-se com a família para o Centro de Belo Horizonte.     1967 Com o golpe militar, aproxima-se do movimento estudantil.     1970 Preso no Rio Grande do Sul, é torturado e mantido isolado por nove meses numa cela sem janela. Neste período, tem direito a apenas uma visita mensal da família.     1971 É transferido para Juiz de Fora, onde passa dois anos num presídio destinado a presos políticos.     1973 Cumpre os últimos seis meses de prisão no DOPS, em BH, antes de iniciar o regime de liberdade condicional.     1974 De volta à liberdade, recupera os anos de estudo do período em que esteve preso em um supletivo e se prepara para o vestibular.     1975 Ingressa na Faculdade de Economia da PUC Minas. Trabalha durante o dia na loja de couro do pai, no Centro de BH, e estuda à noite.     1978 Aos 27 anos, é aprovado em concurso da UFMG e assume o cargo de professor-assistente na Faculdade de Ciências Econômicas.     1979 Atua firmemente na defesa da redemocratização do país, tornando-se um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores.     1985 Eleito vice-presidente da Associação de Professores Universitários de Belo Horizonte, trabalha por melhores condições para o exercício do magistério até 1992.     1986 Integra, como diretor, a chapa eleita para o Sindicato dos Economistas de Minas Gerais, no qual atua pelos seis anos seguintes.     1991 Assume seu primeiro mandato como presidente do Conselho Regional de Economia de Minas Gerais, no qual é reeleito duas vezes como conselheiro.     1993 Assume a Secretaria de Fazenda do governo Patrus Ananias em Belo Horizonte.
Renegocia as dívidas deixadas pela gestão Pimenta da Veiga/Eduardo Azeredo e põe as contas da cidade em dia.
   
1997 Assume a Secretaria de Governo, Planejamento e Coordenação Geral do prefeito Célio de Castro, o Doutor BH.     2000 Assume como vice-prefeito de BH, no segundo mandato de Célio de Castro.     2001 Com o afastamento de Célio de Castro da Prefeitura, por motivos de saúde, assume a linha de frente da gestão municipal. Passa a ser chamado carinhosamente pela população de Prefeito Bom de Serviço.     2005 Toma posse como prefeito eleito de Belo Horizonte, com mais de dois terços dos votos válidos.     2008 À frente de programas como Vila Viva, Centro Vivo, Orçamento Participativo e Restaurante Popular, encerra uma gestão marcante na Prefeitura de BH, considerada a melhor dos últimos 20 anos pelos belorizontinos –e que lhe renderia o título de oitavo melhor prefeito do mundo (o único na América Latina) pela organização inglesa World Mayor.     2010 À beira dos 60 anos, Fernando Pimentel soma mais de quatro décadas dedicadas à melhoria da qualidade de vida do cidadão e ao desenvolvimento do país –uma tarefa que assume novamente ao ser destacado pela presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.     2014 Em 14 de junho, tem sua candidatura aprovada em convenção do partido e se compromete a “devolver Minas para os mineiros”.    

1951

Nasce em 31 de março no bairro Carlos Prates, em Belo Horizonte, o segundo filho do seu Miguel com dona Geralda.

Assista

1956

Após dois anos num colégio particular, Fernando é transferido pela mãe para a escola pública, onde estuda até entrar para a clandestinidade e ser preso pela ditadura.

Assista

1966

Muda-se com a família para o Centro de Belo Horizonte.

1967

Com o golpe militar, aproxima-se do movimento estudantil.

Assista

1970

Preso no Rio Grande do Sul, é torturado e mantido isolado por nove meses numa cela sem janela. Neste período, tem direito a apenas uma visita mensal da família.

Assista

1971

É transferido para Juiz de Fora, onde passa dois anos num presídio destinado a presos políticos.

Assista

1973

Cumpre os últimos seis meses de prisão no DOPS, em BH, antes de iniciar o regime de liberdade condicional.

1974

De volta à liberdade, recupera os anos de estudo do período em que esteve preso em um supletivo e se prepara para o vestibular.

Assista

1975

Ingressa na Faculdade de Economia da PUC Minas. Trabalha durante o dia na loja de couro do pai, no Centro de BH, e estuda à noite.

1978

Aos 27 anos, é aprovado em concurso da UFMG e assume o cargo de professor-assistente na Faculdade de Ciências Econômicas.

Assista

1979

Atua firmemente na defesa da redemocratização do país, tornando-se um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores.

Assista

1985

Eleito vice-presidente da Associação de Professores Universitários de Belo Horizonte, trabalha por melhores condições para o exercício do magistério até 1992.

1986

Integra, como diretor, a chapa eleita para o Sindicato dos Economistas de Minas Gerais, no qual atua pelos seis anos seguintes.

1991

Assume seu primeiro mandato como presidente do Conselho Regional de Economia de Minas Gerais, no qual é reeleito duas vezes como conselheiro.

1993

Assume a Secretaria de Fazenda do governo Patrus Ananias em Belo Horizonte.
Renegocia as dívidas deixadas pela gestão Pimenta da Veiga/Eduardo Azeredo e põe as contas da cidade em dia.

Assista

1997

Assume a Secretaria de Governo, Planejamento e Coordenação Geral do prefeito Célio de Castro, o Doutor BH.

2000

Assume como vice-prefeito de BH, no segundo mandato de Célio de Castro.

2001

Com o afastamento de Célio de Castro da Prefeitura, por motivos de saúde, assume a linha de frente da gestão municipal. Passa a ser chamado carinhosamente pela população de Prefeito Bom de Serviço.

Assista

2005

Toma posse como prefeito eleito de Belo Horizonte, com mais de dois terços dos votos válidos.

Assista

2008

À frente de programas como Vila Viva, Centro Vivo, Orçamento Participativo e Restaurante Popular, encerra uma gestão marcante na Prefeitura de BH, considerada a melhor dos últimos 20 anos pelos belorizontinos –e que lhe renderia o título de oitavo melhor prefeito do mundo (o único na América Latina) pela organização inglesa World Mayor.

Assista

2010

À beira dos 60 anos, Fernando Pimentel soma mais de quatro décadas dedicadas à melhoria da qualidade de vida do cidadão e ao desenvolvimento do país –uma tarefa que assume novamente ao ser destacado pela presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

2014

Em 14 de junho, tem sua candidatura aprovada em convenção do partido e se compromete a “devolver Minas para os mineiros”.

Em 4 de julho, oficializa sua entrada na disputa pelo Governo de Minas junto ao TRE-MG, pela coligação Minas pra Você –aliança com o PMDB, PC do B, PRB e Pros, com o ex-ministro da Agricultura Antônio Andrade como vice.